Cadê o glamour?

No final da semana passada foi descoberto mais um caso de trabalho em condições precárias no mundo da moda. Desta vez foram encontrados 28 ...

No final da semana passada foi descoberto mais um caso de trabalho em condições precárias no mundo da moda. Desta vez foram encontrados 28 bolivianos que faziam roupas para a GEP, grupo que mantém as marcas Luigi Bertolli, Emme, Cori e GAP Brasileira. Os bolivianos recebiam cerca de 350 reais por mês e  trabalhavam cerca de 11 horas por dia. Em 2011, a Zara foi a acusada por manter trabalhadores em condições parecidas. Infelizmente, estes não são casos isolados.
Quantas vezes você vai ao shopping e se derrete por vitrines vistosas e paga mais do que pode gastar? Parece que cada vez que voltamos àquela loja maravilhosa, nos deparamos com peças cada vez mais mal acabadas e preços cada vez mais altos. Boa parte das lojas roupas terceirizam a produção das peças, pois assim barateiam o custo, e principalmente, faturam muito mais em cima do produto final.
A TV Folha fez uma reportagem (vídeo abaixo) em que falava do caso da GEP e do luxo em torno desse universo. O cantor e compositor Thiago Pethit deu entrevista para a Folha em que dizia não se interessar sobre como as peças são feitas. Apesar da resposta infeliz, a maioria das pessoas pensam assim na hora de comprar. Se mal prestam atenção quanto a qualidade do produto e se de fato vale o preço que está na etiqueta, o que dirá sobre como as peças são produzidas, não é? Por isso, da próxima vez que for ao shopping, preste atenção nestes detalhes e se pergunte: "essa peça vale o preço cobrado?"
O Grupo GEP assumiu as responsabilidades sobre o caso, e pagou indenização para os trabalhadores e multa para o Mistério do Trabalho. Já a Zara continua com suas portas abertas e pouco se pronunciou sobre o assunto

Outra infelicidade, é que este tipo de coisa não acontece apenas no mundo na moda e sim na maioria dos produtos. Lembre-se de que consumo consciente não tem a ver apenas com meio ambiente e sustentabilidade. 

Sandy e Helen Quintans
@prontousei

Veja também

0 pronto, falei!