Joana leu: Fallen, de Lauren Kate

"Fallen" Lauren Kate editora Galera Record 401 páginas "Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigo...

"Fallen"
Lauren Kate
editora Galera Record
401 páginas

"Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no internato. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado:  o incendio misterioso que levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder... mesmo que isso a aproxime da morte."


Quando vi esse livro pela primeira vez, gostei da capa, sem saber do que se tratava. Depois, li a sinopse e gostei também. Busquei resenhas em outros blogs e achei que a estória seria interessante, mas agora, fiquei com a impressão de que faltou alguma coisa.

O enredo tem tudo para agradar quem gosta de seres místicos, com anjos como protagonistas, a dicotomia entre o bem e o mal e o eterno amor proibido entre um desses seres com uma humana. Eu, particularmente, aprecio muito esse tipo de estória, mas achei que nesse romance de Lauren Kate ficou faltando um pouquinho mais de... romance mesmo.

A fórmula já é bem conhecida (mas não é isso que deixa o livro menos interessante): uma garota frágil e indefesa, que teve que fazer uma mudança radical em sua vida indo  para um internato, se apaixona à primeira vista por um garoto lindo, mas que a repele constantemente. Luce é essa menina em "Fallen", e está cumprindo pena por ser considerada responsável pela morte misteriosa de um amigo. Indo para a escola Sword & Cross, ela logo percebe que não se encaixa naquele ambiente hostil, e só deseja voltar para casa, até que encontra Daniel, loiro, de olhos acinzentados, forte, e que lhe transmite uma sensação de déjà-vu; ela tem certeza que o conhece de algum lugar, só não consegue saber de onde.

Aos poucos ela vai fazendo algumas amizades, mais por insistência das outras pessoas do que por vontade própria. Vivendo sob o rígido regime da escola, Luce vai descobrindo como burlar algumas regras e conseguir sobreviver a tanta vigilância. Com sua amiga Penn ela passa a investigar a vida de Daniel, na esperança de descobrir porque ele lhe é tão familiar.

Cercada por tantos jovens que parecem mais perturbados que ela, Luce aos poucos vai acreditando que realmente tem algum problema psicológico, principalmente quando ela percebe que está atraída por Daniel e Cam ao mesmo tempo. Cam é totalmente o oposto de Daniel, a começar pela cor dos cabelos e dos olhos, até a forma como trata Luce; ele é doce e está sempre disposto a deixá-la confortável e feliz. Por algum tempo, Luce fica um pouco balançada com toda a sedução de Cam, mas a atração por Daniel é forte demais, e ela não consegue resistir.

Para piorar sua situação, Luce acaba se envolvendo em outro acidente, semelhante ao que matara seu amigo, e que também termina em tragédia. Logo depois desse acidente é que ela começa a perceber que tem algo de especial na forma como Daniel olha para ela, mas que ele tenta disfarçar a todo custo, e isso só a deixa ainda mais curiosa para saber porque ele age assim.

O tom drámatico da trama é a descoberta de que Daniel e Luce estão destinados a ficar juntos eternamente, uma vida depois da outra, mesmo que o amor deles seja a causa de sua morte. E foi ao explicar a maldição que os mantêm ligados que achei que o livro deixou um pouco a desejar, mas espero que isso se resolva nos próximos tomos. Foi muito tempo gasto na apresentação da escola, dos professores e até  da arquitetura local, que depois a autora correu um pouco com os acontecimentos mais importantes, deixando tudo em aberto.

O que, na minha opinião, era para ser um bom young-adult, patinou um pouco no decorrer da narrativa, e virou apenas um romance pouco empolgante. Eu esperava mais: por abordar um amor proibido, esperava que Luce tivesse mais dificuldades para desvendar o mistério de Daniel, com reações fortes ao descobrir o que ele realmente é, com uma inversão de comportamentos, colocando Daniel na posição de apaixonado não correspondido e Luce mais hostil com suas atitudes. Na verdade, depois de muita enrolação com personagens secundários que somem no meio da estória, muitos detalhes do cemitério e da antiga igreja, chegamos à revelação da verdade sobre Daniel, e tudo passa a acontecer rápido demais, sem tempo para as devidas explicações. Luce, como uma boa mocinha, aceitou tudo e acreditou na primeira explicação que ouviu, em nome de seu grande amor.

A estória se mostrou bastante vaga, e não existe um desenvolvimento no romance entre Luce e Daniel, e a relação deles passa direto de inexistente para um amor sem fim. Como há poucos diálogos ao longo da narrativa, fica um pouco complicado compreender os personagens e qual a real importância deles no enredo.

Achei o livro médio, exatamente por essa falta de profudidade de alguns personagens e da correria no final, onde eu esperava que houvesse uma grande luta, uma disputa épica entre o bem e o mal, mas acho que isso ficou para o desfecho da saga. Eu espero realmente que tudo se encaixe no final.

Joana Masen
@joana_masen

Veja também

0 pronto, falei!