Cinematura - A Menina que Roubava Livros

Assim como aconteceu com “ O Caçador de Pipas ”, a história de “A Menina que Roubava Livros” ,escrita por Markus Zusak, também marcou muito...

Assim como aconteceu com “O Caçador de Pipas”, a história de “A Menina que Roubava Livros” ,escrita por Markus Zusak, também marcou muito o período da minha adolescência. Acho que ver situações tão intensas acontecendo na vida de crianças é uma coisa que acaba marcando. Ainda mais se pararmos para pensar sobre o olhar inocente que é colocado nestes livros. O engraçado foi que quando terminei de ler a história de Liesel Meminger me senti bastante satisfeita e não pensei em como seria um filme para completar a trama, coisa que quase sempre penso quando termino um livro. 
Liesel tem sua história contada pela Morte, que após diversos encontros com a menina acaba se afeiçoando a ela. O enredo se passa na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, o que nos dá uma noção das situações tristes que vamos enfrentar nesta leitura. Um dia, Liesel encontra um manual de coveiro e mesmo sem saber ler, ela se apaixona perdidamente pelos livros.

O triunfo do livro é forma como é escrito. Markus Zusak tem um estilo muito interessante de escrita, os personagens são muito cativante e os detalhes dão leveza, pra acontecimentos tão duros. Talvez por isso que não tenha ficado muito curiosa com a adaptação no cinema, que só saiu depois de muito tempo que havia lido. Justamente por ter demorado tanto, foi que adorei a versão pro cinema. Já não lembrava de tantos detalhes da história e também não tinha aquele pensamento de quem já leu o livro e passa o filme todo comparando com o original. 
Mas devo dizer que duas coisas me incomodaram muito no filme. A primeira é que achei que a atriz que interpreta Liesel é muito bonita, por alguma razão imaginava uma menina mirrada e meio acabada com a situação da guerra, enquanto no filme ela é deslumbrante. A segunda é que o filme é falado em inglês, eu sei que muitos longas de Hollywood que se passam em outros países são assim, mas tenho uma agonia disso, poxa, estamos na Alemanha. 

“A Menina que Roubava Livros” é um dos meus livros favoritos por diversos motivos. Eu me apaixonei por essa menina que tudo que ela queria na vida era ler, conhecer outros mundos e mergulhar em algo que eu mesma posso compreender, porque simplesmente não consigo imaginar como seria a minha vida sem a leitura.


Sandy Quintans
@sandyquintans

Veja também

0 pronto, falei!