6 coisas que aprendi com 500 Dias Com Ela

Seis anos se passaram e 500 Dias Com Ela ainda não me saiu da cabeça. Eu já perdi as contas de quantas vezes eu assisti. Pelo menos alguma...

Seis anos se passaram e 500 Dias Com Ela ainda não me saiu da cabeça. Eu já perdi as contas de quantas vezes eu assisti. Pelo menos algumas vezes por ano eu e meu namorado assistimos novamente e sempre se controlando pra não repetir todas as falas. Depois de todo esse tempo eu ainda não sei o que ele tem de tão fascinante. Adoro ver o Tom se iludir e amo como a Summer não está ali pra encontrar o amor da vida. É claro que na vida real nem tudo tem que ser 8 ou 80. Não precisamos ser Tom ou Summer, podemos ficar ali pelo meio, mas adoro ver esses opostos. E aqui está 6 coisas que aprendi com o filme:

1. A cultura pop pode ser uma desgraça em nossas vidas 



Quando a irmã do Tom fala que não é porque uma garota ama as coisas bizarras que ele gosta, que significa que ela é o amor da vida dele. E é verdade. Ele fica apaixonado pela Summer assim que a encontra, mas só alimenta aquilo quando percebe que eles dois amam The Smiths, os desenhos de infância e os filmes. Na verdade, isso só faz com que ele se iluda ainda mais.

2. Quando alguém diz não, é isso mesmo que ela quer dizer



Existe um conceito bizarro em torno da paquera de que se alguém disser não é porque está dando mole ou se fazendo de difícil. Essa foi uma das coisas que mais me irritaram por muito tempo, porque detesto insistência e parecia que toda vez que falava não pra algum carinha, ele entendia como um sim. Quando a Summer diz pro Tom que ela não procurava nada sério, ela não estava fazendo tipo. 

3. É possível passar um tempo com alguém sem que necessariamente seja o amor da vida



Já parou pra pensar que sempre estamos fantasiando com alguém que vamos apenas sair? E achar que aquela conversinha interessante no bar poderia acabar no altar? Bom, nem sempre assim (ainda bem). Vamos com calma, nem tudo precisa ser pra sempre, e isso não quer dizer que não possa ser bom. Ou vai dizer que Summer e Tom não são incríveis juntos?

4. Que existe expectativa e que existe realidade



A parte mais marcante do filme, sem dúvida, é a cena que contrapõe as expectativas de Tom com a realidade que ele estava vivendo. Por que é tão duro? Porque nós sentimos com ele a amargura de ter que encarar a verdade. E ali a gente sabe qual é o preço de gerar expectativas em cima apenas de nossa imaginação. 

5. As pessoas acreditam em coisas diferentes de você



Lá quando Summer e Tom se conhecem, ela começa a contar que amor pra ela é uma fantasia. Ele fica incrédulo, já que está louco pra se apaixonar. Eu tenho a impressão de que ele quer provar a ela que se apaixonar não é como encontrar um unicórnio, sem respeitar muito o que ela quer (mesmo que depois a Summer descubra que existe sem ajuda dele). Tudo bem, neste caso ele estava certo.

6. Nós podemos mudar



Outra cena marcante do filme, é quando a Summer encontra o Tom lá pelo final e o liberta do sofrimento. Ela diz pra ele que estava certo, o amor de fato existia, mas que não estava certo em relação aos dois. É bem verdade, que o Tom sofre muito pelo fim do relacionamento, mas sofre mais ainda ao perceber que ela fez tudo ao contrário com outro cara. Ali, a Summer explica que foi o amor quem a fez mudar e fazer as coisas diferentes. Nem sempre tem de ser amor, mas não dá pra negar que é uma coisa bem poderosa, não?

Sandy Quintans
@sandyquintans



Veja também

0 pronto, falei!